Maria Matos Teatro Municipal
A A
pt | en
 

Fim de semana Especial n.º3 - 27 janeiro 2012

Jana Winderen / CM von Hausswolff
Palco da Sala Principal
MÚSICA
sexta 27 janeiro 2012 22h00




A Touch comemora em 2012 a bonita soma de 30 anos de vida. Um longo caminho percorrido por uma editora que nunca quis ser maior que outras, mas que acabou sempre por ser uma das melhores de todas. Uma longa história de música, imagens e, sobretudo, ideias únicas. Muitas delas foram as mais belas que escutámos, vimos e sentimos. Foi na Touch que ouvimos o Egito de Soliman Gamil, o arrepio binário de Ryoji Ikeda, os voos rasantes de Rafael Toral, o ambientalismo onírico de Biosphere ou os sussurros da natureza pela mão de Chris Watson. Um mundo (o nosso) visto por quem o quis ouvir e partilhar de modo diferente. Sentimo-nos parte da família e por isso estamos aqui a celebrar esta data singular. Dedicamos a terceira edição do Fim de semana Especial à Touch, apresentado-vos quatro ideias que respiram o seu ar e recebem a sua energia, inaugurando com orgulho as diversas celebrações que irão acontecer um pouco por todo o mundo.





Jana Winderen
O estúdio de gravação de Jana Winderen tem o tamanho do mundo inteiro, abrigando a natureza na sua dimensão planetária. Os ecossistemas marinhos são os seus palcos, enquanto os seus intérpretes podem tanto ser uma criatura solista como um grupo de milhares de performers. No limite, pode ser apenas o vazio, uma falsa ausência de vida ou o fantasmagórico respirar de grandes massas oceânicas. Equipada com roupa bem quente e potentes microfones, Jana Winderen trouxe da Gronelândia, Noruega e Rússia um acervo reverberativo da milagrosa agitação sonora que ocupa as profundezas. Sons de crustáceos, cardumes em migração ou peixes em chamamento serão processados nesta noite numa banda sonora misteriosa e avassaladora, algures entre a angústia de Ben Frost e o peso da gravidade de Francisco López, que nos fará viajar pelas imagens que possuímos das profundezas submarinas do nosso planeta.


CM von Hausswolff
Carl Michael von Hausswolff é, não só, uma das figuras paternais da Touch, como uma das personalidades mais marcantes da atividade experimental europeia das últimas décadas e, sem dúvida, um dos mais representados artistas do seu país. Desde o final dos anos 70 até aos dias de hoje, o esteta sueco tem percorrido com suprema elegância e inventividade um vasto campo sonoro, feito de recolha de campo, impulsos primários elétricos e drones intensos, utilizando dispositivos nem sempre associados com a produção musical. A partir dos anos 90, aprofunda cada vez mais a sua produção com instalações e outras plataformas de exposição, ligando o som a penetrantes trabalhos de luz e imagem. Os seus concertos, onde osciladores e vários aparelhos de transmissão e comunicação são, normalmente, os instrumentos, provam que uma arquitetura minimal de ritmos e sons não nos impede de sentir o máximo dos resultados. Não vamos esperar menos que isso, nesta segunda visita ao Maria Matos, depois de o termos recebido como alto representante do reino Elgaland-Vargaland para a inauguração do seu consulado em Lisboa, em setembro de 2009.

 

Preçário

14€ / Com desconto 7€

 

Assinatura X/X0
A partir de 2 janeiro 2012 e durante todo o primeiro trimestre de 2012, usufrua de desconto de 20% na compra de 2 bilhetes inteiros, 30% na compra de 3 bilhetes inteiros, 40% na compra de 4 bilhetes inteiros, 50% na compra de 5 bilhetes inteiros ou mais para diferentes espetáculos deste trimestre no Teatro Maria Matos e no Teatro São Luiz. 

Não acumulável com outros descontos e não extensível a bilhetes de preço único. Apenas disponível nas bilheteiras centrais de ambos os Teatros. Assinatura aplicável a todos os espectáculos do Teatro Maria Matos. Assinatura não aplicável a todos os espectáculos do Teatro São Luiz, ver condições aqui 

Biografias


Fotos

Vídeo

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Comentários

Sinopse




A Touch comemora em 2012 a bonita soma de 30 anos de vida. Um longo caminho percorrido por uma editora que nunca quis ser maior que outras, mas que acabou sempre por ser uma das melhores de todas. Uma longa história de música, imagens e, sobretudo, ideias únicas. Muitas delas foram as mais belas que escutámos, vimos e sentimos. Foi na Touch que ouvimos o Egito de Soliman Gamil, o arrepio binário de Ryoji Ikeda, os voos rasantes de Rafael Toral, o ambientalismo onírico de Biosphere ou os sussurros da natureza pela mão de Chris Watson. Um mundo (o nosso) visto por quem o quis ouvir e partilhar de modo diferente. Sentimo-nos parte da família e por isso estamos aqui a celebrar esta data singular. Dedicamos a terceira edição do Fim de semana Especial à Touch, apresentado-vos quatro ideias que respiram o seu ar e recebem a sua energia, inaugurando com orgulho as diversas celebrações que irão acontecer um pouco por todo o mundo.





Jana Winderen
O estúdio de gravação de Jana Winderen tem o tamanho do mundo inteiro, abrigando a natureza na sua dimensão planetária. Os ecossistemas marinhos são os seus palcos, enquanto os seus intérpretes podem tanto ser uma criatura solista como um grupo de milhares de performers. No limite, pode ser apenas o vazio, uma falsa ausência de vida ou o fantasmagórico respirar de grandes massas oceânicas. Equipada com roupa bem quente e potentes microfones, Jana Winderen trouxe da Gronelândia, Noruega e Rússia um acervo reverberativo da milagrosa agitação sonora que ocupa as profundezas. Sons de crustáceos, cardumes em migração ou peixes em chamamento serão processados nesta noite numa banda sonora misteriosa e avassaladora, algures entre a angústia de Ben Frost e o peso da gravidade de Francisco López, que nos fará viajar pelas imagens que possuímos das profundezas submarinas do nosso planeta.


CM von Hausswolff
Carl Michael von Hausswolff é, não só, uma das figuras paternais da Touch, como uma das personalidades mais marcantes da atividade experimental europeia das últimas décadas e, sem dúvida, um dos mais representados artistas do seu país. Desde o final dos anos 70 até aos dias de hoje, o esteta sueco tem percorrido com suprema elegância e inventividade um vasto campo sonoro, feito de recolha de campo, impulsos primários elétricos e drones intensos, utilizando dispositivos nem sempre associados com a produção musical. A partir dos anos 90, aprofunda cada vez mais a sua produção com instalações e outras plataformas de exposição, ligando o som a penetrantes trabalhos de luz e imagem. Os seus concertos, onde osciladores e vários aparelhos de transmissão e comunicação são, normalmente, os instrumentos, provam que uma arquitetura minimal de ritmos e sons não nos impede de sentir o máximo dos resultados. Não vamos esperar menos que isso, nesta segunda visita ao Maria Matos, depois de o termos recebido como alto representante do reino Elgaland-Vargaland para a inauguração do seu consulado em Lisboa, em setembro de 2009.

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Preço

 

Preçário

14€ / Com desconto 7€

 

Assinatura X/X0
A partir de 2 janeiro 2012 e durante todo o primeiro trimestre de 2012, usufrua de desconto de 20% na compra de 2 bilhetes inteiros, 30% na compra de 3 bilhetes inteiros, 40% na compra de 4 bilhetes inteiros, 50% na compra de 5 bilhetes inteiros ou mais para diferentes espetáculos deste trimestre no Teatro Maria Matos e no Teatro São Luiz. 

Não acumulável com outros descontos e não extensível a bilhetes de preço único. Apenas disponível nas bilheteiras centrais de ambos os Teatros. Assinatura aplicável a todos os espectáculos do Teatro Maria Matos. Assinatura não aplicável a todos os espectáculos do Teatro São Luiz, ver condições aqui 

Descontos

Comentários

s t q q s s d
    1 2 3 4 5
6 7 8 9 10 11 12
13 14 15 16 17 18 19
20 21 22 23 24 25 26
27 28 29 30 31