Maria Matos Teatro Municipal
A A
pt | en
 

Super Disco #3

Rui de Castro
mmcafé
MÚSICA
Sábado 14 Novembro às 18h30

Devido aos termos da lei anti-tabaco n.º37/2007 de 14 de Agosto, Sei Miguel não poderá estar presente como terceiro convidado para o Super Disco. Pela alteração, a que somos alheios, pedimos desculpa. Em sua substituição, receberemos no mmcafé Rui de Castro.

A descrição que se segue parece fabricada, um sonho de arqueologia musical, histórias vividas em primeira mão e na primeira pessoa, tudo verdade: Rui de Castro viveu em Londres durante a década de 70, assistiu por dentro à ascenção e decadência do punk, vizinho da frente de Johnny Rotten, músico (The Warm), editor (Warm Records, inaugurada com dois singles em 1976), contacto privilegiado de António Sérgio para fornecer novidades frescas de Inglaterra. Regressado a Portugal no início da década de 80 viu frustradas pelo "Sistema Fonográfico" vigente as suas tentativas para fazer cá uma editora independente. Um resultado visível de toda essa frustração é o single de 7" "O Pirata (Pirata Rap Attack)", auto-produzido e editado em 1984 sob o nome Rui de Castro e o Grupo Português de Piratas. O formato rap/electro faz deste disco uma peça única no panorama discográfico português, a letra aborda em tom de sátira o assunto sempre relevante do direito à diferença e auto-determinação. Este é o Super Disco para dia 14 de Novembro, onde teremos também a presença de Mário João Camolas para conversar com Rui de Castro.

Super Disco um programa da Flur e do Teatro Maria Matos com os apoios da Rádio Oxigénio e da MK2


Entrada livre
(sujeita à lotação da sala)

Biografias


Fotos

Vídeo

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Comentários

Sinopse

Devido aos termos da lei anti-tabaco n.º37/2007 de 14 de Agosto, Sei Miguel não poderá estar presente como terceiro convidado para o Super Disco. Pela alteração, a que somos alheios, pedimos desculpa. Em sua substituição, receberemos no mmcafé Rui de Castro.

A descrição que se segue parece fabricada, um sonho de arqueologia musical, histórias vividas em primeira mão e na primeira pessoa, tudo verdade: Rui de Castro viveu em Londres durante a década de 70, assistiu por dentro à ascenção e decadência do punk, vizinho da frente de Johnny Rotten, músico (The Warm), editor (Warm Records, inaugurada com dois singles em 1976), contacto privilegiado de António Sérgio para fornecer novidades frescas de Inglaterra. Regressado a Portugal no início da década de 80 viu frustradas pelo "Sistema Fonográfico" vigente as suas tentativas para fazer cá uma editora independente. Um resultado visível de toda essa frustração é o single de 7" "O Pirata (Pirata Rap Attack)", auto-produzido e editado em 1984 sob o nome Rui de Castro e o Grupo Português de Piratas. O formato rap/electro faz deste disco uma peça única no panorama discográfico português, a letra aborda em tom de sátira o assunto sempre relevante do direito à diferença e auto-determinação. Este é o Super Disco para dia 14 de Novembro, onde teremos também a presença de Mário João Camolas para conversar com Rui de Castro.

Super Disco um programa da Flur e do Teatro Maria Matos com os apoios da Rádio Oxigénio e da MK2

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Preço



Entrada livre
(sujeita à lotação da sala)

Descontos

Comentários

s t q q s s d
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30