Maria Matos Teatro Municipal
A A
pt | en
 

Blessed

MEG STUART/DAMAGED GOODS & EIRA
Sala Principal com bancada
DANÇA
22 a 24 junho 2017 → quinta a sábado: 21h30

A sessão de quinta 22 junho encontra-se esgotada, mas ainda há bilhetes para dia 23 e 24 junho.


Dez anos depois da sua estreia e apresentação no Centro Cultural de Belém, o Teatro Maria Matos volta a apresentar Blessed, uma coreografia de Meg Stuart com solo interpretado por Francisco Camacho, no contexto do Arquipélago Verde do ciclo UTOPIAS. Embora a peça não tenha sido criada com este objetivo, as catástrofes climáticas dos últimos dez anos ― inclusive o mediático furacão Katrina ― tornaram-na numa imagem icónica do novo apocalipse ecológico. Não será um mar de fogo a ditar o fim do mundo como o conhecemos, mas uma lenta destruição debaixo de chuvas incessantes.

Francisco Camacho e Meg Stuart conheceram-se em Nova Iorque no fim dos anos 1980 e colaboraram na peça Disfigure Study (1991). Nesta sua segunda colaboração, Camacho habita um pseudo-paraíso de papelão, atormentado pela chuva, segurando desesperadamente a um mundo que entrou irremediavelmente em declínio. Uma obra sombria, focada na implacável luta pela vida, Blessed conforta-nos com o poder sensível da estética da destruição. Blessed recebeu o Prémio da Critica Francesa em 2008 e um Bessie Award pelo desenho visual em 2012.


Em 2011, Hans-Thies Lehmann, autor do reconhecido livro "Teatro pós-dramático", conversou com Meg Stuart sobre Violet, peça que então apresentou no nosso teatro.



Ficha artística

coreografia: Meg Stuart   
criação e interpretação: Francisco Camacho, Kotomi Nishiwaki e Abraham Hurtado 
música: Hahn Rowe         
dramaturgia: Bart Van den Eynde
instalação: Doris Dziersk   
figurinos: Jean-Paul Lespagnard
luz: Jan Maertens   
assistente de coregrafia: Abraham Hurtado
assistente de cenários: Ania Pas
direção de produção: Tanja Thomsen
direção técnica: Oliver Houttekiet
técnico de palco: Emmanuel Desmyter
chuva e palco: Kay Hupka
tour manager: Delphine Vincent
produção: Patrícia Lages
agradecimentos: Sonya Cipriano, Christine Clauser, Sarah Corijnen, Ierê Ferreira, Françoise Hottois, Anne Kleiner, André Lepecki, Britta Mayer, Ania Pas, Christine Peterges, Eddy Present
produção: Damaged Goods e Eira         
coprodução: Kunstencentrum Vooruit, Volksbühne am Rosa-Luxemburg-Platz (Berlin), PACT Zollverein (Essen), Centro Cultural de Belém (Lisboa), Théâtre de la Bastille (Paris), Festival d’Automne (Paris)            

DAMAGED GOODS é uma estrutura apoiada pela Autoridades Flamengas e pela Comissão da Comunidade Flamenga
A EIRA é uma estrutura apoiada  pela República Portuguesa/Cultura/Direção-Geral das Artes
 

Apresentação no âmbito da rede Imagine 2020 com o apoio do Programa Europa Criativa da União Europeia


Apresentação apoiada pela Nationale Performance Netz – Fundo para a digressão internacional de espetáculos de dança, financiado pelo Comissário do Governo Federal para a Cultura e os Media, a partir de decisão do Parlamento Federal Alemão



Links

Preçário

9€ a 18  excecionalmente não se aceitam reservas  duração: 70 min • M/6

Biografias

Fotos

Vídeo

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Comentários

Sinopse

A sessão de quinta 22 junho encontra-se esgotada, mas ainda há bilhetes para dia 23 e 24 junho.


Dez anos depois da sua estreia e apresentação no Centro Cultural de Belém, o Teatro Maria Matos volta a apresentar Blessed, uma coreografia de Meg Stuart com solo interpretado por Francisco Camacho, no contexto do Arquipélago Verde do ciclo UTOPIAS. Embora a peça não tenha sido criada com este objetivo, as catástrofes climáticas dos últimos dez anos ― inclusive o mediático furacão Katrina ― tornaram-na numa imagem icónica do novo apocalipse ecológico. Não será um mar de fogo a ditar o fim do mundo como o conhecemos, mas uma lenta destruição debaixo de chuvas incessantes.

Francisco Camacho e Meg Stuart conheceram-se em Nova Iorque no fim dos anos 1980 e colaboraram na peça Disfigure Study (1991). Nesta sua segunda colaboração, Camacho habita um pseudo-paraíso de papelão, atormentado pela chuva, segurando desesperadamente a um mundo que entrou irremediavelmente em declínio. Uma obra sombria, focada na implacável luta pela vida, Blessed conforta-nos com o poder sensível da estética da destruição. Blessed recebeu o Prémio da Critica Francesa em 2008 e um Bessie Award pelo desenho visual em 2012.


Em 2011, Hans-Thies Lehmann, autor do reconhecido livro "Teatro pós-dramático", conversou com Meg Stuart sobre Violet, peça que então apresentou no nosso teatro.

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Preço

Preçário

9€ a 18  excecionalmente não se aceitam reservas  duração: 70 min • M/6

Descontos

Comentários

s t q q s s d
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31