Maria Matos Teatro Municipal
A A
pt | en
 

Gabriel Ferrandini

TUDO BUMBO
Sala Principal com bancada
MÚSICA
28 junho 2017 → quarta: 22h

O acontecimento deixou de ser local há muito tempo. Nos últimos anos, Gabriel Ferrandini foi conquistando o círculo exterior à nossa cena, mostrando-nos que havia razão quando a sua arte nos impressionava e parecia prometer mundos à sua determinação. Aos poucos, com RED Trio ou o Motion Trio de Rodrigo Amado, citando apenas as formações mais antigas e estáveis, temos vindo a habituar-nos a ouvir a sua percussão cada vez mais fulminante e decisiva, ancorando firmemente toda a improvisação que à sua volta gravitava. Mas o verdadeiro sucesso da sua impressionante mas ainda curta carreira não se mede apenas pelo alcance das suas ondas de choque: é precisamente no epicentro da sua atividade, na cidade de Lisboa, que vamos testemunhando com interessada curiosidade a progressão das suas ideias. Em 2016, Gabriel Ferrandini assumiu o desafio da composição, prometendo-nos para breve o resultado de um ano de trabalho intenso nas várias Volúpias que realizou durante a residência na Galeria Zé dos Bois. Com todo este processo concluído, Ferrandini volta a recolher-se, questionando e recalibrando todos os seus mecanismos de ligação à música. Tudo Bumbo é, por isso, um exercício solitário, um raro solo contaminado pela pesquisa e por uma profunda audição atenta. Promete-nos volume, sons sem notas, jazz e rock rejeitados, harmónicos revelados, um espaço vazio preenchido por drumming total e um trabalho iluminado pela arte de António Júlio Duarte. Gabriel Ferrandini irá dar-nos muitas repostas nesta noite, mas esperem o vosso corpo agitado por uma avalanche de novas questões.



Ficha artística

bateria: Gabriel Ferrandini
desenho de luz: António Júlio Duarte
desenho de som: Cristiano Nunes
foto: António Júlio Duarte


Preçário

6€ a 12  M/6

Biografias

Fotos

Vídeo

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Comentários

Sinopse

O acontecimento deixou de ser local há muito tempo. Nos últimos anos, Gabriel Ferrandini foi conquistando o círculo exterior à nossa cena, mostrando-nos que havia razão quando a sua arte nos impressionava e parecia prometer mundos à sua determinação. Aos poucos, com RED Trio ou o Motion Trio de Rodrigo Amado, citando apenas as formações mais antigas e estáveis, temos vindo a habituar-nos a ouvir a sua percussão cada vez mais fulminante e decisiva, ancorando firmemente toda a improvisação que à sua volta gravitava. Mas o verdadeiro sucesso da sua impressionante mas ainda curta carreira não se mede apenas pelo alcance das suas ondas de choque: é precisamente no epicentro da sua atividade, na cidade de Lisboa, que vamos testemunhando com interessada curiosidade a progressão das suas ideias. Em 2016, Gabriel Ferrandini assumiu o desafio da composição, prometendo-nos para breve o resultado de um ano de trabalho intenso nas várias Volúpias que realizou durante a residência na Galeria Zé dos Bois. Com todo este processo concluído, Ferrandini volta a recolher-se, questionando e recalibrando todos os seus mecanismos de ligação à música. Tudo Bumbo é, por isso, um exercício solitário, um raro solo contaminado pela pesquisa e por uma profunda audição atenta. Promete-nos volume, sons sem notas, jazz e rock rejeitados, harmónicos revelados, um espaço vazio preenchido por drumming total e um trabalho iluminado pela arte de António Júlio Duarte. Gabriel Ferrandini irá dar-nos muitas repostas nesta noite, mas esperem o vosso corpo agitado por uma avalanche de novas questões.


Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Preço


Preçário

6€ a 12  M/6

Descontos

Comentários

s t q q s s d
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31