Maria Matos Teatro Municipal
A A
pt | en
 

Moritz von Oswald & Rashad Becker

Sala principal
MÚSICA
10 fevereiro 2017 → sexta: 22h


Moritz von Oswald e Rashar Becker são dois nomes absolutamente primordiais da história da música experimental e eletrónica que irradiou, e continua a irradiar, de Berlim nos últimos 20 anos. O primeiro é um dos artesãos de algumas das mais fantásticas variações techno da capital alemã; o segundo é possivelmente a figura mais omnipresente da cena experimental ao masterizar uma parte substancial da música eletrónica e não só editada nas últimas décadas. Sem se declararem como um duo oficial, esta colaboração é, pois, uma rara lição de como assistir à criação de novos diálogos e hipóteses, ancorados na eletrónica mas nascidos de algo maleável, acústico e, por que não, improvável: em palco, um piano é ponto de partida, motor de arranque e matéria-prima para que uma composição, estruturada mas respirando improvisação livre, vá nascendo, crescendo e morrendo. Pelo meio das máquinas e dos seus fios comunicantes, eis a história de algo orgânico e perene, que, por diversas fases da sua vida, atinge momentos de incrível beleza e complexidade. Não há muitos músicos que tenham esta capacidade de brincar aos deuses. 



Ficha artística

piano e eletrónica: Moritz von Oswald
eletrónica: Rashad Becker
foto: Adriano Ferreira Borges




Preçário

7€ a 14 ● M/6 

Biografias

Fotos

Vídeo

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Comentários

Sinopse


Moritz von Oswald e Rashar Becker são dois nomes absolutamente primordiais da história da música experimental e eletrónica que irradiou, e continua a irradiar, de Berlim nos últimos 20 anos. O primeiro é um dos artesãos de algumas das mais fantásticas variações techno da capital alemã; o segundo é possivelmente a figura mais omnipresente da cena experimental ao masterizar uma parte substancial da música eletrónica e não só editada nas últimas décadas. Sem se declararem como um duo oficial, esta colaboração é, pois, uma rara lição de como assistir à criação de novos diálogos e hipóteses, ancorados na eletrónica mas nascidos de algo maleável, acústico e, por que não, improvável: em palco, um piano é ponto de partida, motor de arranque e matéria-prima para que uma composição, estruturada mas respirando improvisação livre, vá nascendo, crescendo e morrendo. Pelo meio das máquinas e dos seus fios comunicantes, eis a história de algo orgânico e perene, que, por diversas fases da sua vida, atinge momentos de incrível beleza e complexidade. Não há muitos músicos que tenham esta capacidade de brincar aos deuses. 

Críticas e antecipações

Não existem críticas.

Preço



Preçário

7€ a 14 ● M/6 

Descontos

Comentários

s t q q s s d
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30