Notícias

Grada Kilomba em Lisboa: na Galeria Avenida da Índia, no MAAT, no Teatro Maria Matos e no Hangar


Residente em Berlim há vários anos, Grada Kilomba é uma escritora e artista interdisciplinar portuguesa praticamente desconhecida no país. Outubro marca o início da apresentação do seu trabalho em Portugal com exposições individuais na Galeria Avenida da Índia e no MAAT  e com reflexões sobre o seu trabalho em conversas no Teatro Maria Matos e no HANGAR.

Na Galeria Avenida da Índia:
Grada Kilomba The Most Beautiful Language
Exposição individual
27 outubro 2017 até 4 março 2018 (inauguração 26 outubro 2017 às 18h)

The Most Beautiful Language é a primeira grande exposição individual de Grada Kilomba, que traz a sua prática transdisciplinar e singular de dar corpo, voz e imagem aos seus próprios textos, usando num único espaço a instalação de vídeo, a leitura encenada, a performance, a colagem de texto e a instalação de som. Sendo-lhe muitas vezes dito que o seu idioma materno é “a língua mais bela”, a artista portuguesa questiona: quais são os corpos que podem representar esta língua? E quais são as “línguas” que estes corpos falam?
Com uma beleza intensa e precisa, Kilomba explora não apenas os desejos coloniais e as contradições das narrativas dominantes, como também desvenda um espaço recheado de novas linguagens. Linguagens, que revelam as vozes urgentes de um passado e presente reprimidos; e que se opõem ao que a artista chama uma “dupla ignorância”: não saber, e não ter que saber. Com curadoria de Gabi Ngcobo, a exposição apresenta novos corpos de trabalho que combinam uma variedade de formatos e géneros, levantando questões fundamentais sobre falar, silenciar e ouvir, numa sociedade pós-colonial. Para Kilomba, “the most beautiful language” é a língua que fala da própria realidade silenciada.

Curadoria Gabi Ngcobo • Produção Criativa Moses Leo
Terça a Sexta-feira, 10h-13h/14h-18h • Sábado e Domingo, 14h-18h • Última admissão: 30 min antes da hora de encerramento • Entrada gratuita
Avenida da Índia, 170 – Belém

www.facebook.com/galeriasmunicipaislisboa

No MAAT
Grada Kilomba Secrets to Tell
27 novembro 2017 até 5 fevereiro 2018 (inauguração 26 outubro 2017 às 19h)

A exposição Secrets to Tell, da artista Grada Kilomba, é o primeiro projeto individual a inaugurar o espaço do Project Room do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Com curadoria de Inês Grosso e pensada a partir da videoinstalação intitulada The Desire Project — uma obra especialmente concebida para a 32.ª Bienal de São Paulo (2016), sendo também uma das mais recentes aquisições da Coleção de Arte da Fundação EDP. The Desire Project (2015-2016) ocupa praticamente a totalidade do espaço expositivo do Project Room. Dividida em três atos, como uma peça de teatro – ‘While I Walk, While I Speak and While I Write’ [Enquanto Caminho, Enquanto Falo e Enquanto Escrevo] – a obra mostra uma sequência cadenciada de frases e palavras, que compõem um discurso contundente e comprometido com uma série de questões que se situam numa perspectiva pós-colonial vinculada a representações da história e descolonização do pensamento na contemporaneidade. Para além de The Desire Project, a exposição conta ainda com uma nova versão, exibida em 4 ecrãs, da leitura encenada do seu célebre livro ‘Plantation Memories’ – publicado por Unrast Verlag, Münster em 2008. Foi, também, incorporada na exposição, sobre a forma de vídeo projeção, Kosmos2, Labor #10, na qual Kilomba conversa com a rádio-ativista Diana McCarty. Kosmos2, Labor #10 é apresentado como um valioso arquivo audiovisual de documentação sobre o seu trabalho artístico, que permite uma compreensão mais ampla sobre a sua obra e a já referida prática em trânsito constante e contínuo entre as artes visuais e performativas e a literatura, e entre a investigação académica e as atividades letivas experimentais. No âmbito da exposição será lançado um livro (o primeiro de uma nova série de livros que serão publicados com o programa de exposições definido do Project Room do MAAT) que conta com um ensaio da curadora da exposição, Inês Grosso, e a participação especial do artista Alfredo Jaar com um texto inédito, em formato de carta dirigida à artista.

Curadoria Inês Grosso
MAAT – PROJECT ROOM
Av. Brasília, Central Tejo

http://www.maat.pt

No Teatro Maria Matos
Grada Kilomba e Carla Fernandes Práticas de descolonização: uma conversa a partir da obra de Grada Kilomba
28 outubro 2017 18h30

No âmbito do ciclo dedicado à Descolonização, o Teatro Maria Matos apresenta uma conversa entre a jornalista e mentora do audioblogue Afrolis e a artista portuguesa Grada Kilomba cujo trabalho trata da legitimidade do lugar da fala e aborda questões de memória, raça, género e descolonização do conhecimento. A sua obra confronta-nos com o quanto existe ainda por fazer para uma descolonização da sociedade portuguesa, na qual se continua ainda a empurrar para a invisibilidade a experiência de um largo grupo de cidadãos portugueses ou a boa integração de outros de outras proveniências. Ainda no contexto deste ciclo, o Teatro Maria Matos apresenta a nova criação da companhia Hotel Europa que conclui a trilogia dedicada ao colonialismo português. Focando o lado dos nacionalistas africanos que lutavam pela sua libertação, Hotel Europa analisa o movimento de independências em África para melhor entender o caso do colonialismo português no contexto mundial. Em paralelo ao espetáculo, o Teatro Maria Matos recebe a propósito dos movimentos de libertação africanos, com André Amálio (Hotel Europa), Miguel Cardina (Centro de Estudos Sociais, Universidade de Coimbra) e Beatriz Dias (Djass, Associação de Afrodescentes).

entrada livre (sujeita à lotação) mediante levantamento de bilhete no próprio dia a partir das 15h • duração: 2h • live streaming acessível no próprio dia neste website
Avenida Frei Miguel Contreiras, 52

E ainda no HANGAR
Conversa com Grada Kilomba moderada por Manuela Ribeiro Sanches

3 novembro às 19h

O Hangar em parceria com as edições Orfeu Negro e a Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa organiza uma conversa pública com a artista Grada Kilomba moderada por Manuela Ribeiro  Sanches. A artista falará sobre sua prática artística com um destaque sobre o livro Memórias da Plantação: Episódios do Racismo Diário, com apoio da vídeo-documentação da leitura encenada de episódios que exploram o racismo quotidiano em forma de histórias psicanalíticas, vinculando teoria pós-colonial com narrativa lírica. A combinação dessas duas palavras, plantação e memórias, descreve o racismo não apenas como   o reencenar de um passado colonial, mas também como realidade traumática atual.

Rua Damasceno Monteiro 12
www.hangar.com.pt